sábado, 23 de setembro de 2017

Origem do Cristianismo - Vinícius

Vendo Deus os homens se hostilizarem numa vida de egoísmo — uns amontoando haveres, outros sucumbindo rotos e famintos, uns governando como tiranos, outros obedecendo como escravos —, chamou Jesus, e disse-lhe: "Filho bem-amado; vai à Terra, e dize àquela gente que eles todos são irmãos, filhos meus, criados por mim que tenho reservado a todos igual destino. Ensina-lhes que minha lei é amor. Esforça-te por fazê-los compreender essa lei; exemplifica-a do melhor modo possível, ainda mesmo com sacrifício de tua parte. Quero, faço empenho que o egoísmo desmedido, que impera no coração do homem, seja substituído pelo amor. Sei que isto é difícil, que vai custar muito, mas não importa: minha vontade é essa. Tu serás a encarnação do meu verbo. Falarás aos homens, instruí-los-ás no conhecimento desta verdade. Eu serei contigo."
Jesus, filho dileto e obediente, ouviu a palavra do Pai, saturou-se dela, e, compenetrado da missão que recebera, veio ao mundo.
Nasceu num estábulo, para mostrar em que desprezo tinha as estultas vaidades deste meio. Cresceu, fêz-se homem, e deu início ao cumprimento da ordem recebida. Começou a instruir a Humanidade. Pregava nas praças públicas, nas praias do mar, nas ruas, onde quer que se reunisse o povo. Percorria cidades, vilas e aldeias, anunciando e exemplificando a lei do amor.
Dizia, dentre outras coisas: Homens: vós sois irmãos; amai-vos mutuamente; pois em tal se resume a única e verdadeira religião. A vossa sociedade está dividida; há entre vós separações profundas. Uns dispõem do poder com tirania; outros se submetem como servos. O grande oprime o pequeno. O fraco é esmagado pelo forte. Para os ricos, todas as regalias, todos os privilégios; para os pobres, trabalhos e angústias. Tendes concentrado toda a vossa aspiração na posse da terra com seus bens. O egoísmo domina-vos. É necessário que vos reformeis. A existência, que ora fruís no mundo, passa como uma sombra, é apenas uma oportunidade que o Pai vos concede para conquistardes o futuro brilhante que Ele vos reserva. Aspirai pois, de preferência, aos bens espirituais, que o ladrão não rouba, e a traça não rói. Tal é a vontade do Pai. Vós o adorais com os lábios, mas não o fazeis com o coração. Deus é espírito, e neste caráter deve ser compreendido. Ele não está encarcerado nos templos de pedra como supõem os judeus em Jerusalém, e os samaritanos em Garezim; mas, espírito que é, Ele se manifesta a todos que invocam seu nome com fé, permanecendo em seu mandamento. A estes, Deus procura para seus adoradores. Os ritos e cerimônias são coisas vãs, inventadas pelos homens.
E enquanto assim ia falando, Jesus curava toda a sorte de enfermos que encontrava, inclusive leprosos, cegos de nascença, e paralíticos. E tudo fazia por amor; não recebia nenhuma paga pelos benefícios que prodigamente distribuía.
O povo escutava-o com avidez, sorvendo a largos haustos as boas novas que ele anunciava; pois, até então, jamais alguém pregara semelhante doutrina de amor e de igualdade. Grande era já o número dos que o seguiam e propagavam seus feitos.
O clero e as autoridades começaram a inquietar-se vendo na doutrina de Jesus um perigo para as instituições vigentes, e particularmente para os privilégios que desfrutavam os representantes do Estado e da Igreja.
Os dois poderes — o temporal e o espiritual — resolveram agir em defesa de seus mútuos interesses seriamente ameaçados. Trataram, desde logo, de prender Jesus. Antes, porém, de o fazer, prepararam o ânimo do povo, dizendo: o Nazareno é um impostor, inimigo da Igreja e de César. Todos os prodígios que faz é por influência de Belzebu. É um blasfemo, um herege, que nem sequer guarda a tradição de nossos pais, legada por Moisés.
Sugestionado o povo ignaro, restava consumar-se o delito. Prenderam o Enviado de Deus, e levaram-no ao sinédrio.
Ali, os sacerdotes o interrogaram, e acerbamente o acusaram. Jesus calaria. É indispensável que morra, concluíram por unanimidade. Levemo-lo a Pilatos para que ele, na qualidade de representante de César, lavre a sentença. E conduziram-no, sob chufas e apupadas, até o palácio do preposto de César. Pilatos recebeu a embaixada, e interpelou o pseudo-criminoso. Achou-o inocente. Voltando-se então para os seus acusadores, disse: "Não vejo neste homem crime algum. Proponho que seja absolvido”.
— Nunca! — Bradaram em coro os sacerdotes, os escribas e os fariseus. — Preferimos perdoar a Barrabás, o homicida. Quanto ao Nazareno queremos que seja crucificado. É amotinador, é blasfemo, é endemoninhado, é louco; cura doentes de graça; nivela senhores e escravos, nobres e plebeus; diz que se deve renunciar às riquezas, que todos os homens são filhos de Deus, e que a religião é amor.
— Mas eu não vejo nele crime algum. — Obtemperou o Procônsul romano.
— Se não crucificares o Nazareno — retrucou o poviléu, instigado pelos sacerdotes —, não és amigo de César, pois só a ele temos como rei, e Jesus se diz rei. Lavra a sentença; do contrário apelamos para César.
Pilatos, acovardado pela ameaça, entregou Jesus, para ser crucificado. E crucificaram-no, ladeado por ladrões.
Antes, porém, de Jesus exalar o derradeiro suspiro, voltou-se para umas mulheres piedosas, e alguns discípulos fiéis, que choravam ao pé da cruz, e disse:
— Não vos entristeçais; eu não vos deixarei órfãos, mas voltarei a vós. — E, levantando os olhos para o céu, acrescentou: — Pai, cumpri o teu mandato. Fui até o sacrifício. Traguei, até à última gota, o cálice da amargura. Os homens deste mundo são maus, contudo, eu imploro para eles o teu perdão, porque também são ignorantes: não sabem o que fazem. Julgam que podem contrariar os teus desígnios executando-me, a mim, que fui o intérprete de tua palavra. Eu sei que tu farás prevalecer a tua soberana vontade. E continuarei ao teu lado, agindo sob teu influxo, e, comigo, aqueles que tu me deste.
Assim, mais dia menos dia, a luz vencerá as trevas, a liberdade se oporá à escravidão, a justiça destronará a tirania, e, ao reinado do egoísmo, sucederá o reinado do amor. Passarão o céu e a terra, mas a tua palavra não passará. Recebe, Pai, o meu espírito.
Livro: Nas pegadas do Mestre.
Vinícius.

Anotações Da Esperança – Emmanuel.

 
Se caíste em algum obstáculo, ergue-te e anda.
Ninguém toma forma no corpo físico para estações de repouso.
Todos somos no mundo ou no Mais Além devidamente chamados a colaborar na vitória do Bem.
E o Bem aos outros será sempre a garantia de nosso próprio Bem.
Se dificuldades repontam da estrada, não te omitas. Trabalha para extingui-las.
Segue adiante, reconhecendo que nos cabe a todos desenvolver o esforço máximo para que, junto de nós ou longe de nós se realize o melhor.
Não pares.
A estagnação é ponto obscuro em que os mais substanciosos valores se corrompem.
Não recorras à idéia de fatalidade para justificar o mal, porquanto o Bem de todos triunfará sempre.
Os únicos derrotados no movimento criativo da vida são aqueles que atravessam a existência, perguntando o porquê das ocorrências e das cousas sem se darem ao trabalho de conhecer-lhes a origem; aqueles que descreram de Deus e de si mesmos, apagando-se no vazio do “nada mais a fazer”; aqueles que choram inutilmente as provações necessárias; aqueles que fogem dos problemas da vida, temendo-lhes as complicações; aqueles que se acreditam incapazes de errar e aqueles outros que, em se observando caídos, nessa ou naquela falta, não sentem a precisa coragem do “começar de novo”.
Não estaciones.
Em favor de todas as criaturas, estejam como estejam, Deus criou o apoio do trabalho e a bênção da esperança.
Livro: Alma e Luz.
Emmanuel / Chico Xavier.

Felicidade / A felicidade é deste mundo – Raul Teixeira.


quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Problemas Espirituais

Um dos maiores problemas espirituais é a falta de fé em nós e em Deus. Se duvidarmos de nós, a insegurança nos dominará e ninguém acreditará em nossas capacidades.
A insegurança é como um cupim que vai aos poucos nos devorando, silenciosamente, por dentro e, na hora em que temos que demonstrar nossas capacidades e talentos, acabamos falhando, porque nunca tivemos a verdadeira fé em nós. Temos que acreditar em nós mesmos, porque, se não fizemos isso, ninguém o fará por nós.
Livro: Sempre Melhor – 38.
Jose Carlos De Lucca.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Cartões - 121










El bien y el mal / Good and Evil / Bono kaj malbono / O Bem e o Mal.

El bien y el mal.
629. ¿Qué definición se puede dar de la moral?
- La moral es la regla para conducirse bien, vale expresar, la distinción entre el bien y el mal. Se basa en la observancia de la ley de Dios. El hombre se comporta bien cuando hace todo con miras al bien de todos, porque en tal caso está observando la ley de Dios.
El Libro de los Espíritus – Allan Kardec.
Good and Evil
629. What definition can be given of the moral law?
The moral law is the rule for acting aright, that is to say, for distinguishing practically between good and evil. It is founded on the observance of the law of God. Man acts rightly when he takes the good of all as his aim and rule of action; for he then obeys the law of God.
THE SPIRITS’ BOOK – Allan Kardec.
Bono kaj malbono
629. Kiun difinon oni povas doni pri moralo?
Moralo esta la regulo por bona konduto, tio estas la distingo inter bono kaj malbono. Ĝi sin bazas sur observado de la leĝo de Dio. La homo bone kondutas, kiam li ĉion faras kun rigardo al ĉiuj kaj por bono de ĉiuj, ĉar tiam li observas la leĝon de Dio.
La Libro de La Spiritoj – Allan Kardec.
O Bem e o Mal
629. Que definição se pode dar à moral?
A moral é a regra da boa conduta e portanto da distinção entre o bem e o mal. Funda-se na observação da lei de Deus. O homem se conduz bem quando faz tudo tendo em vista o bem e para o bem de todos, porque então observa a lei de Deus.
O Livro dos Espíritos – Allan Kardec.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Eu sou doente ou eu estou doente?

Crie cada vez mais paisagens mentais alegres, otimistas, saudáveis. Na mente pessimista está a maioria das nossas doenças. A mente pode ser comparada a uma cassa. A doença e a saúde são como duas pessoas que gostariam de morar com você e que têm gostos muito diferentes. Ao contrário da saúde, a doença não aprecia casa limpa, arejada, enfeitada de amor e de paz.
Existe grande diferença entre ser doente e estar doente. Cuidado com isso. Quem se julga um doente define a própria natureza, algo permanente e, portanto, com reduzidas chances de mudar.
Mas, quem está doente revela uma condição momentânea e passageira. Quem é permanece. Quem está deixará essa condição a qualquer momento. Jamais pense ou diga “eu sou doente”. Diga apenas “eu estou doente”.
O ambiente que criamos em nossa mente definirá nossas chances de cura ou manutenção da enfermidade. Vamos arejar nossa mente com otimismo, boas conversas, boas companhias, leituras edificantes, música agradável, idéias fraternais e muito bom humor, pois com isso a saúde residirá conosco.
Livro: Sempre Melhor.
Jose Carlos De Lucca.

domingo, 17 de setembro de 2017

Sanaj kaj malsanaj rilatoj

Kiu havas bonajn partnerojn aŭ proksimajn amikojn, tiu estas pli sana kaj vivas pli longe: Tio estas la konkludo de pluraj studaĵoj de usonaj psikologoj. Malamikecaj rilatoj aliflanke damaĝas al la sano - kaj ankaŭ la personeco ludas centran rolon.
La homo estas socia besto. Vivon sen partnero aŭ amiko plej multaj homoj apenaŭ povas imagi. Kiel studaĵoj montras, soleco povas eĉ malsanigi. Kial malvastaj rilatoj estas tiom gravaj kaj sanigaj, tio estas esplorata de jaroj. La usona psikologia asocio dediĉas al la temo pro tio nun tutan kajeron: La aktuala eldono pritraktas la demandon kial malvastaj rilatoj povas plilongigi la vivon kaj kiamaniere ili disvolvas sian sanakcelan aŭ malakcelan efikon. La artikoloj donas resumon pri tio kion oni scias jam hodiaŭ tiurilate.
Kiel multfacetaj la efikoj de interhoma kontakto povas esti, tion montras kontribuo de psikologoj de la universitato de Masaĉuseco. Ili raportas pri serio de studaĵoj kiuj pruvas kiel helpaj povas esti malvastaj rilatoj ekzemple dum malfacilaj tempoj aŭ sub streso el nura korpa vidpunkto: La pozitivaj efikoj montriĝas ekzemple ĉe la sangopremo, ĉe la nivelo de la streshormono  kortisolo kaj en la cerbo. Per emocia subteno oni ankaŭ sentas malpli da doloroj kaj vidas la mondon kiel malpli minaca.
Sed ne nur en malbonaj sed ankaŭ en bonaj tempoj malvastaj sociaj kontaktoj povas utili. La sanakcela efiko de pozitivaj travivaĵoj estas plifortigata, se oni povas kunhavi la spertojn kun iu alia. Tiam oni ankaŭ pli facile povas sekvi al personaj celoj. Kaj oni emas zorgi pri si mem kaj vivi sane.
Grandan rolon ludas ankaŭ la sentoj de familiareco, de aprezo kaj de tuŝiĝoj. Sur tia bazo homoj disvolvas malpli da afekcioj de bonfarto. Ili dormas pli bone kaj sentas sin entute pli vivofortaj kaj kontentaj. Reagoj pri la proksimeco speguliĝas ankaŭ en la rekompenca centro de la cerbo.
Ĉio tio tamen validas nur por bonaj rilatoj. Se partnereco estas regata de malamikemo kaj rifuzo, tiam la korpaj efikoj inversiĝas kiel tio estas ankaŭ pruvita per studaĵoj: Plialtiĝas la sangopremo, la imunsistemo ne funkcias tiel bone. La partneroj pli ofte suferas pri inflamoj kaj iliaj vundoj saniĝas pli malbone.
Je longa vido homoj en konfliktemaj rilatoj estas pli ofte trafitaj de kor-sangocirkulaj malsanoj, de kronikaj doloroj kaj de tropezo. Socia rifuzo krome kondukas ne malofte al malsana kondutado kiel fumado aŭ troa manĝado.
La korpaj reagoj laŭ la psikologoj tamen intime kunrilatas kun la personeco. Homoj havas tre variajn atendojn al sia vidalvidulo, kaj same varie ili reagas.
Tiel ekzemple estas tre timemaj tipoj de ligiĝo kiuj sentas timon pro eksteraj minacoj kaj dube zorgas pri la rilato. Ili ankaŭ korpe reagas pli forte pri malharmonioj kaj konfliktoj ol sekuraj kaj sendependaj tipoj de ligiĝo. La konsekvencoj montriĝas denove en la kor-sangocirkula sistemo, ĉe stresreagoj kaj inflamoj, en la imunsistemo kaj kondutado. Krome homoj havas malsamajn vivocelojn: Kelkaj estas principe sociemaj, aliaj estas egocentremaj. La lastaj estas pli ofte timemaj aŭ solecaj.
Laŭ la psikologoj ankaŭ forte dependas de la personeco, ĉu rilato por iu estas sana aŭ malsana. Aliaj influfaktoroj estas ankoraŭ malmulte esploritaj, ekzemple la roloj de sekso, de kulturo kaj de socia fono.

Ver – Emmanuel.

A visão não é exclusividade dos olhos físicos.
Refletir é ver com a consciência.
Imaginar é ver com o sentimento.
Calcular é ver com o raciocínio.
Recordar é ver com a memória.
Por isso mesmo, a visão é propriedade vasta e complexa do Espírito, que se dilata e se enriquece constantemente, à medida que nossos poderes e emoções se desenvolvem e se aprimoram.
Quem deseje, pois, realizar, aquisições psíquicas de clarividência nos celeiros da vida, guarde a pureza no coração, afim de que a pureza, em se exteriorizando através de nossos sentidos, nos regenere o mundo emocional, reajustando o nosso idealismo e equilibrando os nossos desejos na direção do Bem Infinito.
Quem procura o “lado melhor” dos acontecimentos, a “parte mais nobre das pessoas” e a “expressão mais útil” das cousas, está conquistando preciosos acréscimos de Visão.
Enquanto nos confiamos às paixões perturbadoras, tateando nas trevas do egoísmo e do ódio, varando o gelo da indiferença e o enrijecimento espiritual, atravessando o incêndio da incompreensão e do desvario ou vencendo os pântanos do desregramento ou da intemperança, não poderemos senão ver com a carne os problemas inquietantes e dolorosos que à ela se ajustam.
Purifiquemos o Espírito e conseguiremos descobrir os horizontes da nossa gloriosa imortalidade.
Todos enxergam alguma cousa na vida comum, entretanto, raros sabem ver.
Ajustemo-nos aos princípios do Vidente Divino que soube contemplar as necessidades humanas, com amor e perdão, do Alto da Cruz e, por certo, começaremos, desde agora, a penetrar na claridade sublime de nossa própria ressurreição.
Livro: Alma e Luz.
Emmanuel / Chico Xavier.

Desenvolva a sua Alegria / Sexualidade Numa Visao Espirita - Raul Teixeira.


sábado, 16 de setembro de 2017

Alma e Luz – Emmanuel

Questionados que temos sido por vários companheiros reencarnados nas áreas do campo físico, com respeito ao binômio “alma e corpo”, desejamos afirmar, preliminarmente, que sabemos que o assunto será esclarecido, nos termos justos, por autoridades da Vida Superior, no tempo próprio.
Diante, porém, da sinceridade dos nossos irmãos, que permanecem transitoriamente na Terra, ousamos enfileirar aqui algumas deduções simbólicas, capazes de auxiliar-nos o raciocínio na solução dos problemas profundos que a questão envolve em si mesma.
A alma é comparável ao motor.
O corpo é o veículo.
A alma é o livre-arbítrio.
O corpo é a matéria que se organiza a fim de resguardá-la.
A alma é o timoneiro.
O corpo é a embarcação.
A alma é a raiz.
O corpo é o tronco.
A imaginação é a tela que detém os nossos desejos.
O corpo é a realidade, em que se manifesta.
A alma é a sublimidade da música.
O corpo é a câmara na qual o compositor procura os recursos para reproduzir ou inspirar-se ante a melodia dos anjos.
A alma é a lógica nos acontecimentos da vida.
O corpo é instrumento em que se aprende a respeitá-la.
A alma é a inspiração da Vida Maior.
O corpo é a matéria densa em que nós outros manipulamos as formas dos anseios que os nossos sentimentos acalentam no dia-a-dia.
A alma é o plano.
O corpo é a inteligência instintiva que o executa.
A alma é o campo.
O corpo é a enxada que obedece ao lavrador.
A alma é o oleiro.
O corpo é o elemento que o obedece na formação de vasos diversos.
A alma é o ambiente.
O corpo é a forma que nos define os pensamentos.
A alma é a fonte dos nossos ideais.
O corpo é o buril de trabalho com que nos conduzimos, pela própria vontade, às atividades do bem ou do mal, conforme nossas escolhas.
A alma é a diretriz.
O corpo é o território em que viajamos com a possibilidade de nutrir a saúde ou as provações da doença.
A alma é o amor de que nos alimentamos para a vida.
O corpo é a atitude que nos tutela a independência própria para assumir as nossas preferências das quais teremos os resultados respectivos.
O corpo é o refletor de nossas disposições íntimas para servi-la ou conturbá-la.
A vida é semelhante mina de ouro.
Tomando o corpo físico, que lembra o uniforme do trabalhador que se esforça para encontrar e deter alguma parcela do precioso metal, na reencarnação, simbolizamos desta forma a presença ou a busca da luz em que todos vivemos.
Necessário remover toneladas de cascalho para achar alguma quantidade da preciosidade referida.
Aqueles que se devotam às boas obras e se desenvolvem no auto-conhecimento levam consigo alguma luz ao Plano Espiritual; isso, porém, por vezes, determina grande número de existências, na Crosta Terrestre.
Os amigos que se consagram ociosidade ou revolta, ao desanimo ou ao ódio, devem voltarão mesmo padrão de existência, nas áreas físicas do Planeta, tantas vezes quantas foram as romagens no ambiente das provas que não quiseram vencer.
Conduzindo Vida Superior apenas cascalho improdutivo, às vezes necessitam regressar às dificuldades que desprezaram, demorando-se no mundo material.
E isso acontece com muitos amigos que apenas conduziram consigo o cascalho da inutilidade, sem possibilidade de partilhar o trabalho nas Legiões do Bem.
Lamentam-se, em vão, porque em verdade recusaram sistematicamente as oportunidades de serviço e elevação que lhes foram concedidas.
Conduzindo às Esferas Superiores unicamente cascalho, sem qualquer resquício de luz de que se acham necessitados, são constrangidos a retornar às tarefas que menosprezaram no mundo.
Saibamos procurar a luz nas pedras da existência, estudando e aprendendo, amando ao próximo como sendo nós mesmos e sublimando os ideais de elevação que adquirimos, com a realização de nossos princípios.
Eis porque este livro simples e despretensioso recebeu o nome de: Alma e Luz.
Uberaba, 19 de julho de 1990.
Livro: Alma e Luz.
        Emmanuel / Chico Xavier.

O Pesadelo de Loiola - Vinícius.

Certa vez, quando o fundador da Companhia se achava absorto naquela ideia fixa, que tanto o obcecava, de conquistar o mundo, caiu numa sonolência profunda, e teve um pesadelo. Viu-se, sem saber como, às portas do Inferno. Guardava a entrada do Hades luzido demônio, de chavelhos retorcidos, e cauda eriçada, terminando em penacho. O Geral interpela-o:
— Estão aí os hereges e os ímpios, padecendo a justa punição que merecem?
— Enganais-vos. Os ímpios e hereges converteram-se e alcançaram a salvação.
— Ah! já sei; estão aí os homicidas, os ladrões, os incendiários, os bandidos?
— Não estão. Purificaram-se no cadinho da dor, onde expiaram seus crimes; estão salvos.
— Compreendo agora. Acham-se sob os domínios de Satã os perjuros, os tiranos que oprimiram os povos, os ricos avarentos que menosprezaram a pobreza, os sátiros e os políticos profissionais?
— Ainda não acertastes. Todos esses pecadores encontraram na sentença — "quem com ferro fere, comferro será ferido" — o seu meio de reabilitação. Foram redimidos, passando pelo que fizeram passar os outros.
— Nesse caso, o Inferno não passa de um mito. Uma vez que ninguém é condenado, o Hades não é mais que uma ficção cujo prestígio, fundado em mera fantasia, acabará desaparecendo, pondo assim o valor da Companhia em perigo?
— Errastes ainda uma vez. O Inferno, cujos portais com ufania guardo e defendo, é uma realidade. Há muita gente cá dentro. Quereis saber quem são os condenados? São os hipócritas, os falsos mentores do povo que mercadejavam com a religião, abusando da credulidade dos pequenos e corrompendo a consciência dos grandes. São os mercadores do Templo, os traficantes da fé, os que devoravam as casas das viúvas e dos órfãos a pretexto de oração. São os embrutecedores da razão, os piratas do pensamento, os inimigos da verdade. São, finalmente, aqueles que outrora, num brado colérico e rouquenho, clamavam a Pilatos: Solta Barrabás! Crucifica Jesus-Cristo!
— Apre! Que horrível pesadelo! Esta só lembra ao Diabo! — disse Loiola, erguendose, espavorido; pois escutava ainda o eco longínquo daquele vozerio, que exigia a crucificação do Filho de Deus.
Livro: Nas Pegadas do Mestre.
Vinícius.

Livros para baixar - 58


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Palavra do Dia / Vorto de la tago - 66

            SPICO - Especiaria, condimento, tempero.
Aroma, pli-malpli akra aŭ acida vegetaĵa substanco, aldonata al manĝaĵoj kaj trinkaĵoj, por ilin fari pli bongustaj:
(Substância vegetal aromática, mais ou menos picante ou ácida, acrescentada à comida e à bebida, para torná-las mais saborosas:)

Kiun spicon vi aldonis al via ege bongusta plado?
Qual tempero você adiciona ao seu prato extremamente saboroso?
Boteleto da spica brando estis jam metita en la pakaĵeton.
Uma garrafinha de aguardente temperada já estava colocada no pacotinho.
Kreskaĵoj eligis spican odoron, ke mi eĉ komencis terni.
Umas plantas exalaram um cheiro picante, que até eu comecei a espirrar.
Ĉi tiu spicaĵo tre taŭgas al viando.
Este tempero é muito adequado para a carne.
En tiu spicejo eblas aĉeti plej diversajn spicojn.
Nesse local de especiaria é possível comprar uma grande variedade de temperos.
Donu al mi la spicujon, mi volas spici la supon.
Dê-me o recipiente de especiarias, quero temperar a sopa.
***
Programa "MiaAmiko" - Esperanto@Brazilo
Virtuala Brazila Esperanto-Movado

EM LOUVOR DO EQUILÍBRIO – Emmanuel.

“Toda a amargura, cólera, ira, gritaria e blasfêmia sejam retiradas dentre vós, bem como toda a malícia” PAULO (Efésios, 4:31)
Na própria senda comum, surpreendemos a ação do equilíbrio que exclui todo assalto da violência e qualquer devoção à imundície.
Nas cidades litorâneas, diques reprimem o mar furioso prevenindo calamidades e arrasamentos.
Nos grandes edifícios modernos, pára-raios seguros coíbem o impacto fulminatório das faíscas elétricas.
Desde tempos longevos, esgotos sólidos extraem detritos do pouso humano.
Cada templo doméstico possui sistemas habituais de limpeza.
Entretanto, no campo do Espírito, o Homem desavisado acalenta nas fibras do próprio ser o lodo da maledicência e o lixo da mágoa, libertando os raios da blasfêmia e a onda letal da ira, ferindo os outros e atormentando a si mesmo...
Quantas enfermidades nascem dos pântanos da amargura e quantos crimes se configuram no extravasamento da cólera ! Impossível enumerá-los...
Se a mensagem do Evangelho te anuncia as Boas Novas da redenção, foge, assim, ao domínio da viciação e da crueldade.
A frente da irritação e do desalento, da agressividade e da injúria, oferece o dom inefável de tua Paz, falando para o bem ou silenciando na grande compreensão, porque em ti, que guardas o nome do Cristo empenhado na própria vida, o reino do amor deve começar.
Livro: Palavras de Vida Eterna.
Emmanuel / Chico Xavier.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Palavra do Dia / Vorto de la tago - 65

                        KOLIZII - Chocar-se, abalroar, colidir.

1. Renkontiĝi kaj ege forte tuŝi sin reciproke:
(Encontrar-se e muito fortemente se tocar reciprocamente)

Ĵus okazis granda akcidento - du trajnoj koliziis.
Há pouco aconteceu um grande acidente - dois trens se chocaram.
Esperu, ke neniam okazos kolizio de kometo kun la tero.
Esperemos que nunca aconteça uma colisão de um cometa com a Terra.

2. Kontraŭi, konflikti, neakordiĝi (se paroli pri cirkonstancoj aŭ sentoj):
(Opor-se, entrar em conflito, discordar ao se falar sobre circunstâncias ou sentimentos)

En li la honoro koliziis kun timo.
Nele a honra se chocava com o medo.
En la konkurso videblis granda kolizio de diversaj teamoj.
No concurso era visível grande colisão de  diversos times.

Programa "MiaAmiko" - Esperanto@Brazilo
Virtuala Brazila Esperanto-Movado

DNA – Deus é Nosso Autor.

Nosso verdadeiro DNA é de ordem divina. Como ouvi certa feita do padre Léo, o significado espiritual do DNA quer dizer: Deus é Nosso Autor. Que imagem bela e verdadeira. Deus é o nosso autor, Deus é o pintor e nós somos o quadro. Portanto, como tudo aquilo que Deus faz é bom, eu também sou bom, sou a obra-prima do artista chamado Deus. Mas não sou a obra pronta.
O alicerce Deus colocou, agora o próprio homem deve se preencher do concreto divino para edificar a casa da felicidade por meio da vivência das virtudes espirituais que ele vem conhecendo através dos tempos.
E é exatamente onde falta esse concreto que aparece a área dos nossos pontos fracos.
Livro: Sempre Melhor – 35.
José Carlos De Lucca.

domingo, 10 de setembro de 2017

Rememoroj pri la 19-a Tutmonda Kongreso en Gdańsk – 1927 - Andreo Bach el Gdynia en Pollando


Kiam aperos la hodiaŭa legaĵo, la ĉi-jara ESPERANTO SUR LA STRANDO en Sopot ĵus estos fininta. Ni dediĉis ĝin al la okazinta en 1927 la 19-a UK.Tial hodiaŭ mi volus prezenti al vi la fragmenton de la kongresaj rememoroj de la fame konata en nia medio kaj eminenta esperantisto prof. Józef Toczyski.



           Rememoroj pri la 19-a Tutmonda Kongreso en Gdańsk - 1927

En la lastaj tagoj de Julio en la jaro 1927, kiel freŝe bakita abituriento de mezlernejo mi envagoniĝis al rapidtrajno: Lvov-Varsovio celante la 19-an Universalan Kongreson de Esperanto en Danzigo. La Kongreso estis fakte eksterordinara, ĉar estis ĝi la Kongreso Jubilea, okaze de la 40-a datreveno de la apero de la unua lernolibro de Esperanto. La Kongreso do estis tiel organizita, ke ĝia unua parto devis esti okazinta en Gdansko, la dua parto en Varsovio, la urbo, kie Zamenhof vivis, laboris kaj mortis antaŭ 10 jaroj en 1917, en la urbo, kie aperis la unua Esperanto-Lernolibro.

La lingvon mi lernis antaŭ kelkaj jaroj kun areto de kolegoj, sed ĝis la fino de la kurso ni restis nur du, tamen kun vera aŭtentika ”viva"esperantisto mi neniam konatiĝis... ĉar mi lernis Esperanton aŭtodidakte de lernolibro, ni do ne estis certaj, ĉu ni bone elparolas kaj prononcas la vortojn. Mi estis tiel ege scivola atendantajn min travivaĵojn. La Kongreson mi veturis sola.

Veninte Varsovion mi devis ŝanĝi la vagonaron. Tiu dua veturis rekte kaj jen la surprizo: sur unu el vagonoj granda, verdfarba surskribo sur la tuko: 
                                  
“XIX UNIVERSALA KONGRESO DE ESPERANTO EN DANZIG 28 VII – 4 VIII 1927".

Mi eksentis fortan korbaton, tamen mi decidis tiun vagonon ne eniri.

Mi absolute ne estis certa, kiel efikis tiu nia „Esperanto". Tutsimple - mi timis kiel la lernanto antaŭ la respondo de ne tro bone preparita studmaterialo. Ĵus kiam mi estis preterpasinta la vagonon, mi ekaŭdis la demandon en Esperanto: "Ĉu vi veturas Kongreson, sinjoro? Mi invitas vin. La tuta vagono estas por kongresanoj".

Mi tute forgesis, ke en la butontruo de la redingoto mi havis rubandeton kun brodita verda stelo. Plu mi ne povis min kaŝi, kaj mi devis respondi, kiam oni tra la fenestro" alparolis min per la sama lingvo, kiun mi uzis en interparolo kun mia amiko Adam, ke mi ĉion komprenas kaj kiam mi ekparolis, oni komprenis min. Do, kion fari. Vole nevole mi eniris la vagonon kaj tiam komenciĝis reciprokaj prezentoj. Evidentiĝis, ke en la vagono troviĝas la tuta stabo de la Esperanto-movado en Pollando. Estis D-ro Odo Bujwid, tiam la nestoro de nia movado, krakovano fama mikrobiologo, iam la asistanto de Pasteur; estis la filoj kaj filinoj de Zamenhof, lia frato; inĝ. Chmieliński, tiama ĉefdelegito de UEA por Pollando, D-ro Blassberg el Krakovo, d-ro Mędrkiewicz el Łódź, la geedzoj Oberrotman el Varsovio kaj multaj, multaj aliaj. Mi estis ŝokita, ĉarmigita, feliĉa kaj fiera, ke mi kun ili parolas, ke ili min kore akceptis tuj al "familio" - kaj kio estas la plej grava, ke mi tute kun ili interkompreniĝas. La tutan vojon de Varsovio al Gdańsk ili babilis kompreneble esperante kaj riĉigis grandioze miajn sciojn pri la movado...

En certa momento mi staris kun profesoro Bujwid en koridoro kaj interparolis. Profesoro demandis min subite: - kiu instruis al vi Esperanton? - Neniu - mi respondis. - Mi mem lernis ĝin kun la kolego ankoraŭ en la lernejo. Vi bonege parolas - diris la Eminentulo. Tio estis por mi la plej valora rekono de mia lingvokono. Fine ni venis al Gdańsk.

Oração

Oração

Nossa Receita